Livros:

 

É presumível a ideia de ateísmo dentro da análise do Pensamento Trianímico ao descrever a crença religiosa como uma invenção niilista para inibir pensamentos de finitude na mente do hominídeo. Por este ponto de vista, os processos de religiosidade, mitologia, rituais e crenças seriam formas de acalento psicológico objetivando esperança de vida após a morte. Contraditoriamente, Wudson Silva reproduz um tema literário que transfere sua teoria evolutiva para um romance policial com base em interpretações metafísicas.

Seus livros baseiam-se na criação de elementos imaginários (alma e anjos), que substituem as fontes cognitivas por traços de personalidade específicos dos quais produzem a constante produção de projeções especulativas e subjetivas, assim como promove a teoria do Pensamento Trianímico.

O Arbitral é representado pela Alma, dado à conexão entre corpo e fonte, compatível, inclusive, às teorias transcendentais dogmáticas que diversas áreas religiosas protegem.

Maiêutico e Maquiavélico foram dados, respectivamente, o título de Anjo bom e Anjo mau, por compreender que o homo sapiens vive em desequilíbrio espiritual e filosófico, dado ao fato da descendência evolutiva ser traçada por caminhos repletos de histórias traumáticas e irremediáveis.

O objetivo é analisar o fenômeno trianímico num gênero literário capaz de demonstrar a origem do pensamento por intermédio de seres interligados à mente como se fosse de fato parte da vida cognitiva do homo sapiens.

Os livros retratam as aventuras de um detetive criminalístico com capacidade de ver em cada ser humano dois anjos interligados coerente e sistematicamente em suas mentes, sendo imperceptível a origem do pensamento produzido, fazendo crer que a natureza de todo raciocínio produzido é de inteira responsabilidade do indivíduo, e deixando este à mercê de possíveis manipulações através de imagens ou mensagens angelicais indutoras de pensamentos alienantes. Entretanto, ao produzir esta comunicação na presença do detetive no ato de um interrogatório, os pensamentos produzidos pelos anjos são facilmente visíveis e compreendidos, dando impressão que este fenômeno daria vantagens investigativas ao personagem principal, mas as histórias escondem enigmas que não são facilmente revelados pelo simples ato de compreender o pensamento alheio.

Anjos – o segredo de Judith

Quem poderia imaginar que naquela pequena e pacata cidade, onde todos se conheciam, poderia ocorrer um crime tão bárbaro? Judith, a catequista querida da cidade, foi encontrada morta no terreno da igreja, onde ministrava suas aulas Apenas um suspeito – um homem considerado ‘bruxo’, que teria caído após ter dado uma trombada em Judith, e, depois, ameaçá-la com palavras não compreendidas Somente uma pessoa poderia resolver este crime tão aterrorizador e descobrir o verdadeiro assassino – Clóvis, o detetive da cidade grande que desvenda todos os crimes através do enigmático poder de ler os pensamentos através de anjos Ele tem apenas uma semana para descobrir o verdadeiro assassino Junto com Isaías, o policial mal- -humorado da cidade do interior, que questiona os métodos utilizados pelo seu parceiro, saem em busca de novas pistas Conseguirá o detetive Clóvis descobrir o assassino em apenas uma semana? Só folheando essa belíssima obra para desvendar o Segredo de Judith.

 

anjos – a facção iconoclasta (livro 2)

Para cada ação uma reação: o plano seguia conforme o combinado. Mas, por que no meio de uma investigação tão importante o detetive Clóvis teria ido tão longe investigar a morte de uma modesta catequista?O que se passa em Anjos – o segredo de Judith, em síntese, representa uma armadilha contra o líder de uma perniciosa facção iconoclasta. A reação deste líder é a chave desta segunda aventura.
O livro inicia por narrar os dias que antecederam a investigação sobre a morte de Judith, a catequista, e continua após a partida do detetive Clóvis da cidade interiorana de Rio Vermelho. Desta maneira, o livro anterior se passa em um lapso de tempo deste, que além de incluir as novas dificuldades investigativas devidas à intromissão dos inspetores externos Noêmia e César, revela novos aspectos da caótica filosofia angelical. A principal abordagem de Anjos a facção iconoclasta refere-se às práticas de explodir imagens sagradas em igrejas católicas. Mas Clóvis, o detetive que interpreta anjos, descobre a origem desta estranha tendência e se infiltra no audacioso e criativo fórum virtual de debates, o Art Forays, no qual enigmáticas mensagens são inseridas pelo grupo criminoso para indicar igrejas e métodos de detonação das esculturas religiosas que estas igrejas contenham. O desafio é interpretar essas mensagens para, chegando antes, evitar que novas explosões acabem por deflagrar uma guerra religiosa, de proporções incalculáveis. Os católicos estão irados, e não estão mais dispostos a aceitar a profanação de seus templos e signos sagrados.